Site desenvolvido por Macplus - (61) 98128-6001

Shigs 714/914 E Talento 29 - Asa Sul, Brasília - DF, 70390-145

Tel: 61 - 3346-6616

  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • White Google+ Icon

Distúrbios do sono

Existem até o presente momento mais de  8O doenças do sono.

Sendo as mais prevalentes: a insônia, apneia do sono, privação do sono, narcolepsia, doença das pernas inquietas, hipersonolencias, bruxismo, sonambulismo,  etc.

INSÔNIA

 

É caracterizada pela dificuldade em iniciar e/ou manter o sono e pela sensação de não ter um sono reparador causando prejuízo significativo em áreas importantes da vida do indivíduo. Do ponto de vista polissonográfico, é acompanhada de alterações na indução, na continuidade e na estrutura do sono. Geralmente aparece no adulto jovem, e é mais frequente na mulher e tem um desenvolvimento crônico. É o transtorno de sono mais comum, respondendo por cerca de 25% das buscas em clínicas especializadas em tratamento de problemas do sono. Cerca de metade dos pacientes com insônia também tem depressão.

APNEIA DO SONO

A apneia obstrutiva do sono é caracterizada por episódios repetitivos de obstrução das vias aéreas superiores que ocorrem durante o sono, geralmente associados a uma redução na saturação de oxigênio no sangue. Este distúrbio pode ou não estar associado aos roncos. O ronco é simplesmente a tradução sonora que indica diminuição ou estreitamento da via aérea durante a passagem do ar. Se o referido estreitamento torna-se severo, objetiva-se o fechamento ou colapso da via aérea, resultando em apneia. A apneia é arbitrariamente definida como parada da respiração ou interrupção do fluxo aéreo por no mínimo 10 segundos. A Hipopnéia é definida como diminuição parcial do fluxo aéreo.

Consequências Cardiovasculares da Apneia do Sono

  • Hipertensão Arterial

  • Hipertensão da Artéria Pulmonar

  • Cor Pulmonale

  • Bradi-Taquicardia

  • Fibrilação Atrial

  • Arritmias Ventriculares

  • Infarto do Miocárdio

  • Morte Súbita

  • Arteriosclerose

PRIVAÇÃO DO SONO

A Privação do Sono é a perda de sono noturno que resulta em sonolência fisiológica aumentada, muitas vezes associada a sentimentos subjetivos de cansaço ou fadiga. É a condição onde não se dorme o suficiente para o organismo se recuperar, o que pode ser crônica ou aguda. Um estado de sono restrito crônico pode causar fadiga, diminuição dos reflexos, sonolência, envelhecimento precoce, queda da imunidade, dificuldade de concentração, problemas de memória e ganho de peso.

NARCOLEPSIA

A narcolepsia é caracterizada por sonolência excessiva que pode estar associada à cataplexia e outros fenômenos do sono REM, como paralisia do sono e alucinações hipnagógicas. O sintoma mais expressivo é a "preguiça" e sonolência diurna excessiva, que deixa o paciente em perigo durante a realização de tarefas comuns, como conduzir, operar certos tipos de máquinas e outras ações que exigem concentração. Isso faz com que a pessoa passe a apresentar dificuldades no trabalho, na escola e, até mesmo em atividades da vida diária.

SÍNDROME DAS PERNAS INQUIETAS

A síndrome das pernas inquietas é um distúrbio do sono em que a pessoa sente uma necessidade involuntária de movimentar as pernas. Geralmente o sintoma ocorre a noite ao deitar-se, ocorrendo o alivio com o movimento das perna. Anormalidades relacionadas a esse distúrbio: quantidade de movimento (excessiva ou reduzida), perda de controle do movimento e  forma anormal de movimentos.

HIPERSONOLÊNCIA

A Hipersonolencias ou Hipersonia Idiopática é uma doença primária do sono que tem origem em alguma disfunção do Sistema Nervoso Central (SNC). O distúrbio é caracterizado por: sonolência excessiva que é relatada como uma forte compulsão para dormir, mesmo após um sono de 8 horas ou mais; uma dificuldade de permanecer acordado, principalmente, em ocasiões com pouca movimentação física (ex.: ler, ver televisão, assistir a aulas); e não causada por insônia ou poucas horas de sono. Os indivíduos afetados apresentam dificuldade em despertar pelas manhãs e podem ter embriaguez do sono, comportamentos automáticos e distúrbios de memória. Esta condição difere da narcolepsia, na qual os períodos de sono durante o dia são mais longos e não há associação com cataplexia.

BRUXISMO

O Bruxismo é um hábito parafuncional que leva o paciente a ranger os dentes de forma rítmica durante o sono ou, menos prejudicialmente, durante o dia. É observada em pacientes de todas as idades e geralmente está relacionada ao alto nível de estresse. Ocorre em cerca de 15% das pessoas. Pode causar desgastes nos dentes e agir como um dos fatores causais das dores de cabeça e distúrbios da articulação temporomandibular. Ranger os dentes à noite e apertá-los durante o dia formam um problema progressivo que o paciente frequentemente não nota e só é percebido se prestar atenção na própria tensão muscular ou se o rangido noturno é escutado por outros, normalmente parentes próximos como pais, irmãos e esposo ou esposa. O diagnóstico geralmente é feito depois de surgirem algumas complicações como desgastes nos dentes, dores na musculatura mastigatória, estalidos nas articulações, perdas ósseas na mandíbula e maxilar, travamento das articulações temporomandibulares etc.

SONAMBULISMO

O Sonambulismo é um transtorno comportamental do sono (parassonia), durante o qual a pessoa pode desenvolver habilidades motoras simples ou complexas. O sonâmbulo sai da cama e pode andar, urinar, comer, realizar tarefas comuns e mesmo sair de casa, enquanto permanece inconsciente. É difícil de acordar um sonâmbulo, mas, contrariamente à crença popular, não é perigoso fazê-lo, sendo inclusive perigoso não acordá-lo. Contudo, esse despertar deve ser feito com cautela, já que alguns sonâmbulos podem ficar confusos e até mesmo ser violentos.